Objetivo 3.1 – Planejando a Instalação

Este post faz parte de uma série, clique aqui para ver o índice completo.

Identificando e conigurando os pré-requisitos de instalação

Existem duas formas principais de instalar o sharepoint 2013, online e offline. A primeira e mais trivial é: executar o verificador de pré-requisitos, instalar os pré-requisitos e em seguida instalar o sharepoint, a segunda ocorre em servidores com altos níveis de segurança (sem acesso a internet por exemplo). Neste tipo de servidor, você precisa baixar todos os pré-requisitos em uma pasta compartilhada na rede. Este cenários é especialmente interessante para Farms grandes (com muitos servidores).

Exam Tip: Dois pré-requisitos (roles) são essenciais para a instalação do Sharepoint 2013 (tanto online como offline): Application Server Role e Web Server Role. Estes pré-requisitos são features do windows 2008/2012 adicionados após a instalação do Windows. Após adicionadas estas roles o servidor precisa ser reiniciado, na instalação “Online” a ferramenta de verificação de pré-requisitos já adiciona estas roles, na instalação offline você precisa adicionar estas roles manualmente (ou utilizando scripts do Power Shell).

Após adição das roles, será necessários instalar os outros pré-requisitos (baixados em uma pasta compartilhada na rede). Você pode fazer isso pela própria ferramenta de pré-requisitos executando ela pela linha de comando. Para ver as opções execute a ferramenta com o seguinte comando: prerequisiteinstaller.exe /?

Importante: Todos os pré-requisitos (.exe, .msi, etc) têm que estar na mesma pasta para que a ferramenta os identifique corretamente.

Implementando um “Scripted Deployment”

Para Farms com muitos servidores um processo automatizado de instalação via script é mais viável.

Importante: Em servidores do SQL Server com mais de um processador, a propriedade “Max Degree of Paralelism” do SQL Server tem que ser definida para 1, apesar de o SQLServer suportar outros valores, o Sharepoint suporta apenas 1. Isso pode ser configurado através do SQL Server Management Studio (SSMS) ou via comando slq, o problema é que, nem sua conta de instalação do sharepoint nem sua conta de Farm tem este nível de acesso, por isso, tenha em mente que o usuário que roda seu script de deployment não terá está permissão, logo, você precisará que um DBA ou alguém com tais permissões faça isso.

Criando a farm

Criar a Farm consiste basicamente em criar a base de dados de configuração, isso deve ser feito enquanto logado com o usuário de configuração, este usuário tem que ser membro do domínio, administrador local e tem que ter as roles de securityadmin e dbcreator em cada servidor. Este processo de criação da base de dados de configuração é feito através do Power Shell (o script demora um pouco pra rodar). O próximo passo é instalar os Farm feature e serviçes (via Power Shell). E por último a criação da Central Admin WebApplication (via Power Shell, tbm).

Implementando o “patch slipstream”

Em Farms existentes, a atualização é simples: baixa o arquivo, executa e pronto. Em novas instalações (que já devem ser instaladas) com as devidas atualização o processo exige preparação. Se você abrir a mídia de instalação do Sharepoint vai ver que existe uma sub-pasta chamada “updates”, você pode baixa e descompactar updates, hotfixes, cumulative updates e service packs nesta pasta e automatizar o processo de instalação. Você estará basicamente criando uma nova mídia de instalação personalizada. Começando do mais velho para o mais novo, pegue todos os arquivos de updates e extraia-os para a pasta “updates” utilizando o seguinte comando de exemplo: myFileKB9999999.exe /extract: <caminho da pasta ou caminho de rede compartilhado onde está a instalação do SP>

Importante: Sempre faça isso do mais velho para o mais novo, nunca inverta a ordem.

Planejando e instalando Language Packs

Exam Tip: Não importa qual language pack você baixe, o nome do arquivo sempre será sharepointlanguagepack.exe, armazene cada language pack em seu respectivo diretório para evitar confusão.

Importante: Nunca será necessário instalar um language pack da mesma linguagem da instalação original do Sharepoint, ou seja, instalou em português, não precisa instalar language pack pt-BR. O programa de instalação estará na liguagem escolhida, por isso conheça bem a interface do instalador. Se você precisa instalar mais de um language pack, pode deixar para rodar o configuration wizard só ao final de todas.

Planejando e configurando “Service Connection Points (SCPs)”

Não entendi muito bem o que e SCPs mas pelo que li na documentação oficial (http://technet.microsoft.com/en-us/library/cc961722.aspx) parece uma espécie de HUB de serviços que podem ser disponibilizados na rede, alguns serviços do sharepoint podem ser disponibilizados lá, como o serviço de Application Discovery e Load Balancer (the topology service application). O SCP deve ser configurado para cada domínio da rede.

Importante:  Para os serviços do Sharepoint este container SCP (criado através do AD) deve se chamar “Microsoft Sharepoint Products”.

Depois de ler este resumo, leia o review da página 210.

Tags